domingo, 3 de abril de 2016

Previsão Climática para o Trimestre de Abril a Junho/2016


             clima
A previsão por consenso para o trimestre abril a junho de 2016 (AMJ/2016) indica maior probabilidade do total trimestral de chuva ocorrer na categoria abaixo da normal climatológica numa faixa que vai do norte do Pará até Alagoas estendendo-se por Sergipe e leste da Bahia, com distribuição de probabilidade de 25%, 35% e 40% que correspondem às categorias acima, dentro e abaixo da faixa normal climatológica, respectivamente. 

Para o sul do Mato Grosso do Sul e toda a Região Sul, a previsão indica maior probabilidade dos totais pluviométricos no trimestre ocorrerem na categoria acima da normal climatológica, com distribuição de 40%, 35% e 25% para as categorias acima, dentro e abaixo da faixa normal climatológica, respectivamente.


As demais áreas do País (área cinza do mapa) apresentam baixa previsibilidade para o referido trimestre, o que implica igual probabilidade para as três categorias. Esta previsão ainda considerou uma possível influência do fenômeno El Niño Oscilação Sul (ENOS), uma vez que a condição de neutralidade está prevista para meados de 2016.

Ressalta-se que padrões de variabilidade intra-sazonal podem atuar no início do referido trimestre, no sentido de inibir a ocorrência de chuvas sobre o norte da Região Nordeste, bem como estabelecer o término da estação chuvosa na Região Sudeste. 

Para este trimestre, a previsão indica maior probabilidade de temperaturas variando entre valores normais e acima da média em quase todo o País. Destaca-se o aumento climatológico de incursões de massas de ar frio no decorrer do referido trimestre, que podem causar acentuado declínio das temperaturas no centro-sul do Brasil.

Esta previsão foi elaborada pelo GTPCS do MCTI, durante a reunião climática realizada nas dependências do INPE/CPTEC, em Cachoeira Paulista-SP, com a participação de órgãos ligados à área de Meteorologia. 

A previsão é baseada na análise das condições diagnósticas oceânicas e atmosféricas globais e de modelos dinâmicos e estatísticos de previsão climática sazonal. 

Informações adicionais sobre as condições oceânicas e atmosféricas utilizadas nestas análises e a situação da chuva em todo o Brasil serão disponibilizadas no portal do INPE/CPTEC.




Por hoje é só! Espero vocês no Próximo Post. Fiquem a Vontade para Curtir, Compartilhar, Twittar, Fazer Comentários ou Dar Sugestões. Vejo Vocês em Breve. Até........











Referências:
http://www.cemaden.gov.br/climasazonal/relatorio-previsao-climatica-sazonal-do-mcti-22032016.php