terça-feira, 16 de junho de 2015

Defesa Civil-RJ Estuda Possibilidade de Usar Drones para Mapear Áreas de Risco

              Resultado de imagem para DRONES

Primeiro, Vamos Entender o Que é um Drone? Drone é um apelido informal para todo e qualquer objeto voador não tripulado. 

Palavra de origem inglesa, drone significa "zangão" ou "zumbido". A palavra é uma associação ao som realizado pelo aparelho durante um voo rasante perto da orelha de alguém. 

No Brasil, os drones são classificados e regulados conforme seu propósito de uso. Se for para lazer, esporte, hobby ou competição, o equipamento é visto como um aeromodelo. Pode ser tanto um mini-helicóptero, uma réplica de um jato ou até mesmo um helicóptero que possua quatro hélices, conhecidos internacionalmente como "quadcopters".
Agora, se o uso do drone for para outros fins (pesquisa, experimentos ou comércio), o aparelho passa a ser entendido como um veículo aéreo não tripulado (Vant). Contudo, além do fim não-recreativo, para ser um vant, o equipamento precisa possuir uma carga útil embarcada não necessária para o equipamento voar. 
Exemplos dessa carga útil são as câmeras acopladas para tomadas aéreas de filmes ou quando alguém embarca uma correspondência para entrega, mesmo que seja uma pizza ou uma carta.  
Os primeiros vants mais populares no Brasil foram pequenos aviões utilizados pela Força Aérea Brasileira (FAB) para proteção de fronteiras e utilizados pelo Ibama para mapeamento do desmatamento da Floresta Amazônica. Outros países como os Estados Unidos já usam vants para irrigação de lavouras e até mesmo para bombardear territórios inimigos. 
Em terras brasileiras, somente é permitido o uso de Vants com piloto remoto. Isso quer dizer que equipamentos autônomos sem intervenção externa durante o voo são terminantemente proibidos pela defesa aérea brasileira. 
Logo, todo vant que possui um piloto remoto é automaticamente chamado de "Remotely-Piloted Aircraft" (RPA), em português, aeronave remotamente pilotada. 
Os VANTs ou drones foram idealizados para fins militares. Inspirados nas bombas voadoras alemãs, do tipo V-1, e nos inofensivos aeromodelos rádio-controlados. 
Estas máquinas voadoras de última geração foram concebidas, projetadas e construídas para serem usadas em missões muito perigosas para serem executadas por seres humanos, nas áreas de inteligência militar, apoio e controle de tiro de artilharia, apoio aéreo a tropas de infantaria e cavalaria no campo de batalha, controle de mísseis de cruzeiro, atividades de patrulhamento urbano, costeiro, ambiental e de fronteiras, atividades de busca e resgate, entre outras.  
Eles são muitas vezes preferidos para missões que são "maçantes ou perigosas"  para aviões tripulados como policiamento e combate a incêndios, e com a segurança não militar, como a vigilância de dutos.
A Superintendência Operacional (Suop) da secretaria de Estado de Defesa Civil do Estado do Rio de Janeiro (Sedec RJ) criou uma comissão para avaliar a viabilidade da implementação e operação de aeronaves de controle remoto - também conhecidas como drones - para atuação em ações de Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro. 

O Objetivo é Monitorar, em Tempo Real, os Cenários de Ocorrências Atendidas no Estado.

De acordo com o Superintendente Operacional da Sedec RJ, Cel Marcelo Hess, o grupo de trabalho está estudando os dispositivos legais vigentes, desde o registro do equipamento até as condições de emprego.

- As Possibilidades de Uso Desses Equipamentos São Diversas:

* Mapeamentos de áreas de risco;

* Enchentes;

* Analise de estruturas colapsadas;

* Localização de pessoas perdidas em mata por imagem térmica; e

* Acompanhamento de deslizamentos. 

Essa ferramenta permite o monitoramento em tempo real das mais variadas ocorrências, otimizando as ações da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros - disse o Cel BM Marcelo Hess.

Por hoje é só! Fiquem a vontade para Curtir, Compartilhar, Twittar, Fazer Comentários ou Dar Sugestões.








Referências:
http://www.cbmerj.rj.gov.br/index.php/menu-oculto-slideshow/3093-defesa-civil-rj-estuda-possibilidade-de-usar-drones-para-mapeamento-de-areas-de-risco
http://www.techtudo.com.br/noticias/noticia/2013/10/o-que-sao-e-para-que-servem-os-drones-tecnologia-invade-o-espaco-aereo.html
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ve%C3%ADculo_a%C3%A9reo_n%C3%A3o_tripulado
http://publicacoes.decea.gov.br/?i=publicacao&id=3499
http://www.decea.gov.br/autorizacoes-para-voos-de-vant-entenda-melhor/
http://www2.anac.gov.br/biblioteca/portarias/port207STE.pdf