segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Entendendo Como Os Satélites Meteorológicos Enxergam a Terra

          

Primeiro, Vamos Entender O Que é Um SatéliteUm Satélite é Basicamente Qualquer Objeto que Dá Voltas em Torno de Um Planeta em Um Trajeto Circular ou Elíptico.

A Lua é o Satélite Natural e Original da Terra, mas Existem Muitos Outros, Feitos Pelo Homem (Artificiais), Geralmente Próximos à Terra.


- A trajetória que um satélite segue é uma órbita.

- Satélites Artificiais Não São geralmente Produzidos em Massa. 



A Maioria Deles é Construída Especialmente para Executar Funções Planejadas. As Exceções São os Satélites de GPS (Com mais de 20 em órbita) e os Satélites Iridium (Acima de 60 orbitando o planeta).


- Aproximadamente 23 Mil Resíduos de Lixo Espacial (Objetos grandes o bastante para serem Rastreados por Radar, inadvertidamente postos em órbita ou que se tornaram obsoletos) estão flutuando acima da Terra. 

O Número Real Varia, Dependendo da Agência que Faz a Contagem. 

Cargas que Entram na Órbita Errada, Satélites Com Baterias Exauridas e Restos de Estágios Propulsores de Foguetes, Todos Contribuem para esse Número. 

Este Catálogo Online de Satélites Têm Quase 26 Mil Registros.

Embora qualquer coisa que esteja em órbita em volta da Terra seja Tecnicamente um Satélite, esse termo é tipicamente usado para descrever um objeto útil colocado em órbita com o propósito de executar uma missão ou tarefa específica. 

Nós normalmente ouvimos falar de Satélites Meteorológicos, de comunicação e para programas científicos.

Segundo, De Quem Foi O Primeiro Satélite a Entrar em Órbita na Terra? O Satélite Soviético Sputnik Foi o Primeiro a Orbitar a Terra, Lançado em 4 de outubro, de 1957. 


Suas Baterias Duraram por Apenas Três Semanas após o Lançamento.



Em virtude do sigilo do governo soviético na época, nenhuma fotografia foi tirada deste famoso lançamento.



O Sputnik era uma bola metálica de 58 cm e 83 kg. Embora tenha sido uma realização extraordinária, o conteúdo do Sputnik parece bem escasso pelos padrões atuais:


- Termômetro;

- Bateria;

- Rádio transmissor, que mudava o tom de seus bips para combinar com as mudanças de temperatura; e

- Gás nitrogênio: que pressurizava o interior do satélite.

Do lado de fora do Sputnik, quatro antenas-chicote transmitiam em ondas curtas, em frequências acima e abaixo do que hoje é conhecido como faixa do cidadão (27 MHz). 

De acordo com o Space Satellite Handbook, de Anthony R. Curtis: Após 92 dias, a gravidade prevaleceu e o Sputnik queimou na atmosfera terrestre. Trinta dias depois do lançamento do Sputnik, uma cadela chamada Laika orbitou em um satélite Sputnik de meia tonelada com um suprimento de ar. Esse satélite queimou na atmosfera em abril de 1958.

O Sputnik é um bom exemplo da Relativa Simplicidade de um Satélite.


Terceiro, O Que é Um Satélite Meteorológico? Um Satélite meteorológico é Um Tipo de satélite artificial que é Primariamente Usado para Monitorar o Tempo e o Clima daTerra, embora Monitorem Também Efeitos da Atividade Humana, como:

* Luzes das Cidade, Queimadas, Níveis de Poluição, Além de auroras polares, Tempestades de Raios e Poeira, Superfícies Cobertas por Neve e Gelo, Desmatamento e Correntes Oceânicas, Entre Outros. 

As imagens dos Satélites Meteorológicos ajudam no monitoramento das nuvens liberadas por vulcões como o Monte Santa Helena e da atividade de outros vulcões como o Etna

A fumaça da queimada de florestas também pode ser monitorada.

Outros Satélites Ambientais podem detectar mudanças na vegetação da Terra, no estado do mar, na cor dos oceanos, e regiões geladas. Por exemplo, o grande vazamento de óleo que ocorreu em 2002 na costa oeste da Espanha foi acompanhado cuidadosamente pelo satélite europeu ENVISAT, o qual, a pesar de não ser um satélite meteorológico, possui um instrumento (ASAR) capaz de detectar mudanças na superfície dos mares e oceanos.

O El Niño e seu efeito sobre o tempo foi monitorado diariamente por meio de imagens de Satélite. O buraco na camada de ozônio é mapeado por meio de dados de satélites meteorológicos.

Quarto, Quantos Tipos de Satélites Monitoram o Globo Terrestre? São Dois Tipos Satélites que Monitoram o Globo Terrestre a partir do Espaço, São Eles: 

* Os Geoestacionários, posicionados a mais de ou menos 35 mil quilômetros de altitude perto da Linha do Equador  e se Deslocam na Mesma Velocidade de Rotação da Terra.

Esse movimento permite que o Satélite observe a mesma Área constantemente.

* Satélites de Órbita Polar, posicionados mais para baixo entre 200 a 1000 quilômetros de altitude. Este esbarra na Terra do Polo Norte ao Polo Sul, Conseguindo Mapear toda Superfície do Planeta.

Quinto, Entendendo o Funcionamento de Um Satélite? 

* O Sol Ilumina e Aquece a terra, Dentro dos Satélites existem Sensores que vão Captar a Energia Refletida emitida pela Superfície Terrestre em Forma de Comprimento de Ondas.

Para a Meteorologia, o que mais vai interessar Será a Radiação de Infravermelho e da Luz Visível.

A Radiação de Infravermelho é importante, porque indica temperatura nas nuvens.

Nuvens muito Altas são mais frias do que as nuvens mais baixas, e através de cores ou tons de cinza é possível estimar a altura da nuvem e seu potencial para:

* Chuvas, Tempestades e Raios.

Já o Comprimento de Onda Visível é importante, porque funciona como uma fotografia da Atmosfera. É como se estivéssemos vendo a Terra e as Nuvens de cima para baixo.

Podemos Comparar com um Scaner. É como se o Satélite escaneasse a Terra por faixas diversas vezes ao dia.

Os Comprimentos de Ondas Captados pelos Sensores São Transformados em Sinais Elétricos e retransmitido para Estações de Recepção da terra equipadas por Grandes Parabólicas, e a partir dai que é gerada a imagem de Satélite que conhecemos.

Os Dados São Processados com ajuda de Programa de Computador, e a composição total da imagem é gerada automaticamente em cima de mapas e colorizada de acordo com a informação desejada.

E com isso o Previsor do tempo irá Interpretar as Imagens de Satélite, analisando a cor, tonalidade, sombras, texturas, tamanhos e formas, e assim entendendo as condições do tempo, como por exemplo:

* As Nuvens de Uma Frente Fria, Grandes Áreas de Instabilidade, Uma Área de Baixa Pressão Atmosférica ou Atuação de Uma Massa de Ar Seco, Ciclones Extratropicais, Um Enorme Furacão se Formando.

- Satélites Meteorológicos de Órbita Polar, Como Terra e o Aqua da Nasa possuem Sensores Específicos capazes de captar imagens mais detalhadas de alta definição, gerando outros tipos de imagens de fenômenos naturais, ambientais e de monitoramento, como por exemplo: 

* Coluna de Fumaça de uma Erupção Vulcânica, Tempestades de Areia, Degelo, Focos de Queimadas, Rastro de Destruição Causados pela Passagem de Tornado, Áreas Devastadas após Avanço de um Tsunami e Nevascas.

Sendo assim, As Imagens dos Satélites São Essenciais para Previsão do Tempo. 

Uma Curiosidade:

O Brasil atualmente não tem Satélites, e Utiliza Imagens principalmente dos Norte-americanos (GOES, NOAA) e o Francês (METEOSAT), que são disponibilizados em curtos intervalos de tempo, diversas vezes ao dia 

Por hoje é só! Fiquem a Vontade para Curtir, Compartilhar, Twittar, Fazer Comentários ou Dar Sugestões. Vejo Vocês em Breve. Até........







Referências:
http://www.climatempo.com.br/videos/video/4/DFYVW7b2iC4
http://pt.wikipedia.org/wiki/Sat%C3%A9lite_meteorol%C3%B3gico
http://www.hughes.com.br/artigos/como-funcionam-os-satlites
http://pt.allmetsat.com/satelites-meteorologicos.php
http://ciencia.hsw.uol.com.br/satelites2.htm
http://pt.wikipedia.org/wiki/Aqua_(sat%C3%A9lite)