quinta-feira, 9 de julho de 2015

Petrópolis Já Conta com Plano de Contingência de Incêndios Florestais

Petrópolis já conta com Plano de Contingência de Incêndios Florestais
Petrópolis já conta com um Plano de Contingência de Incêndios Florestais. O documento, formulado pela Prefeitura, por meio da Secretaria de Proteção e Defesa Civil, define o que cabe a cada órgão quando há uma queimada, em relação a socorro, assistência e reabilitação. 
A versão final do plano foi apresentada nesta quarta-feira (8/7) na sede da Defesa Civil, com a presença de representantes de outros órgãos. 
A proposta do plano é tornar mais rápida e eficaz a resposta às queimadas, fortalecendo a integração entre as diferentes instituições envolvidas, com a função de cada uma definida no documento.
O Plano de Contingência de Incêndios Florestais foi elaborado pela Prefeitura ao longo deste ano com contribuições de outras instituições que atuam na prevenção e na resposta às queimadas. Agora, o plano será encaminhado a todos esses órgãos e também disponibilizado na página da Prefeitura na internet.
“Esse é mais um documento importante de prevenção de desastres naturais conquistado pelo prefeito Rubens Bomtempo. 
Em 2013, ele apresentou o Plano de Contingência de Petrópolis, voltado para deslizamentos e inundações, que são as principais ameaças naturais no verão em Petrópolis. 
Nesse período de poucas chuvas no meio do ano, nossa principal ameaça são as queimadas. Com esse plano, as funções de cada órgão estão especificadas em tabelas, de uma forma simples, o que agiliza a resposta aos incêndios florestais”, disse o secretário de Proteção e Defesa Civil, Rafael Simão.
O comandante do 15º Grupamento de Bombeiro Militar (Petrópolis), tenente-coronel Eric Soledade, participou da reunião. Como ele lembrou, são os bombeiros os primeiros a chegar a uma queimada. 
O plano especifica que, em uma situação dessas, o Corpo de Bombeiros aciona a Secretaria de Proteção e Defesa Civil, que aciona todos os demais órgãos, fazendo o papel de coordenador das ações.
“Tendo essa integração entre todos esses órgãos, a resposta às queimadas fica muito melhor. Fizemos questão de participar desse processo. 
O plano irá facilitar muito o nosso trabalho, porque faremos o acionamento apenas da Defesa Civil, que mobilizará as outras instituições. Isso vai possibilitar que o Corpo de Bombeiros se dedique especificamente ao combate às queimadas”, disse Soledade.
Os participantes da reunião concordaram em realizar em agosto um simulado de mesa do Plano de Contingência de Incêndios Florestais. Na ocasião, a Defesa Civil descreverá um cenário fictício de queimada, e cada instituição informará o que faria a cada momento do incêndio florestal.
A gestora do departamento de Psicologia da Cruz Vermelha do estado do Rio (CVB-RJ), Fátima Santos, elogiou a proposta de simulado do plano. “É essencial para as pessoas saberem se articular em uma situação de emergência. 
É um planejamento que tem que ser estudado e treinado. Se não soubermos quem são os colegas de atuação nesse cenário, as ações ficam muito perdidas, muito isoladas”, disse Fátima Santos.
Por hoje é só! Fiquem a vontade para Curtir, Compartilhar, Twittar, Fazer Comentários ou Dar Sugestões.