quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Brasil se Destaca Com Maior Número de Cidades Resilientes no Mundo

                


Com 282 municípios participantes, o Brasil é hoje o País com Maior Representação na Campanha ‘Cidades Resilientes’, iniciativa da Organização das Nações Unidas (ONU), lançada em 2011 pelo Ministério da Integração Nacional em Parceria com o Escritório da ONU para Redução de Riscos de Desastres.

O País ficou na frente da Áustria (com 280), Líbano (254), Itália (130), Índia (130), Filipinas (113), Coréia do Sul (109), Ilhas Canárias (80), Sérvia (50) e Sri Lanka (47).


São Consideradas Resilientes as Cidades que Têm Capacidade de Resistir, Absorver e se Recuperar de Forma Eficiente dos Efeitos de Desastres e, de Maneira Organizada, assim Como Prevenir a Perda de Vidas e Bens.


As Cidades Estão Executando Todas as Etapas Solicitadas pela ONU. Entre elas:

* Criar Programas Educativos e de Capacitação em Escolas e Comunidades Locais, Cumprir Normas Sobre Construção e Princípios para Planejamento e Uso do Solo, Investir em Implantação e Manutenção de Infraestrutura que Evitem Inundações, e Estabelecer Mecanismos de Organização e Coordenação de Ações com Base na Participação de Comunidades e Sociedade Civil Organizada.


A Finalidade da Campanha é Aumentar o Grau de Consciência e Compromisso em Torno das Práticas de Desenvolvimento Sustentável, Como Forma de Diminuir as Vulnerabilidades e Propiciar o Bem Estar e Segurança dos Cidadãos.


Segundo o Promotor da Campanha no Brasil, Sidnei Furtado, o papel da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec) é Sensibilizar e Apoiar os Estados e Municípios a Aderirem a Esse Movimento.


“A Construção de uma Cidade Resiliente Envolve Dez Providências a Serem Implementadas por Prefeitos e Gestores Públicos Locais. Cinco delas têm como origem as prioridades estabelecidas em 2005 pelo Marco de Ação de Hyogo, quando 168 países, incluindo o Brasil, se comprometeram a adotar medidas para reduzir o risco de desastres até 2015”, explica Furtado.











Referências:
http://diariodepetropolis.com.br/Destaque.aspx?c=00001
http://www.integracao.gov.br/cidadesresilientes/
http://eird.org/americas/we/campana-mundial-ciudades-resilientes.html