quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Jica Irá Orientar as Defesas Civis na Criação de Novos Protocolos de Acionamento de Sirenes


Jica irá orientar Defesa Civil na criação de novo protocolo de acionamento de sirenes
A Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica) Irá Orientar os Municípios de Petrópolis, Nova Friburgo e Blumenau (SC) a Produzirem Novos Protocolos de Acionamento de Sirenes no caso de chuvas fortes.
Hoje nas Três Cidades, há um Protocolo Geral, para todo o Município, baseado nos índices pluviométricos, independentemente do bairro.
Com a Proposta da Jica, Cada Região terá um Protocolo Específico, ou seja, serão considerados as características do solo e o padrão construtivo do bairro, além da intensidade das chuvas, para o acionamento das sirenes do Sistema de Alerta e Alarme.
A Proposta da Jica foi apresentada na terça-feira (30/9), na sede do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), em São José dos Campos.
O encontro, que teve a participação da Secretaria de Proteção e Defesa Civil, faz parte da parceria de quatro anos, iniciada em 2013, entre governo federal e Jica para a redução de desastres das chuvas em Petrópolis, Nova Friburgo e Blumenau (SC).
No Evento, o Engenheiro Civil Japonês Hydeyuki Iwanami, Consultor da Jica, Mostrou Como é o Protocolo de Acionamento das Sirenes no Japão, desde o momento em que os agentes da Defesa Civil local são mobilizados até a emissão dos alertas para as comunidades.
No País, o Protocolo Leva em Consideração as Características Locais.
Iwanami Dará Início ao Novo Protocolo em Petrópolis, tendo como base as chuvas de março de 2013.
A Secretaria de Proteção e Defesa Civil disponibilizará a ele dados do Registro de Ocorrência, Com Informações Sobre Hora e Local de Deslizamentos.
O Engenheiro da Jica Cruzará esses dados com os de Órgãos Estaduais, Como o Instituto Estadual do Ambiente (Inea), Sobre os Índices Pluviométricos em Cada Bairro a Cada Hora.
Com isso, ele fará uma média de quantos milímetros é preciso chover para haver deslizamentos em cada comunidade. A partir desse levantamento, a Secretaria de Proteção e Defesa Civil irá elaborar o novo protocolo, acrescentando mais informações.
Petrópolis conta hoje com 18 Sirenes do Sistema de Alerta e Alarme, instaladas em dez comunidades:
* Quitandinha, Ferroviários, Vila Felipe, João Xavier, Sargento Boening, São Sebastião, Siméria, Independência, Dr. Thouzet e 24 de Maio. 
As sirenes são consideradas a melhor ferramenta de prevenção a curto prazo em Petrópolis, já que os alertas orientam moradores de áreas de risco a procurar locais seguros, como casas de amigos ou parentes que não fiquem em áreas de risco ou pontos de apoio sinalizados pela Prefeitura.
A Defesa Civil esclarece que os alertas das sirenes são o último aviso a esses moradores, já que eles devem procurar um local seguro assim que começar a chover forte, antes mesmo de a sirene ser acionada.
No encontro no Cemaden, a Defesa Civil estava Representada pelo Diretor Técnico, Engenheiro Ricardo Branco, e pelo Chefe do Sistema de Alerta e Alarme, Vitor Júnior.







Referências:
http://www.petropolis.rj.gov.br/pmp/index.php/imprensa/noticias/item/2691-jica-ir%C3%A1-orientar-defesa-civil-na-cria%C3%A7%C3%A3o-de-novo-protocolo-de-acionamento-de-sirenes.html
http://www.cbmerj.rj.gov.br/
http://www.suop.defesacivil.rj.gov.br/
http://www.esdec.defesacivil.rj.gov.br/
http://www.petropolis.rj.gov.br/dfc/