segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Conhecendo e Identificando as Vulnerabilidades

            

A Identificação da vulnerabilidade inclui o reconhecimento de todas as características e 
circunstâncias de uma comunidade, sistema ou bem exposto a uma ameaça ou processo 
perigoso e, por esta razão, a identificação dos elementos que a compõem deve ser focada nas suas características físicas, funcionais, e socioambientais.

Por exemplo: 

Para o caso de deslizamento, alguns especialistas definem a vulnerabilidade como o grau de perda de um dado elemento, ou grupo de elementos expostos, em uma área suscetível.

Para propriedades, construções e estruturas, a perda será indicada pela relação do valor dos prejuízos relativos com valor da propriedade; 

Para pessoas, será a probabilidade que uma vida em particular seja perdida, caso a pessoa seja afetada pelo deslizamento.

Deve-se levar em conta, porém, que a exposição é o principal fator causador de vítimas, embora outras características socioeconômicas sejam também importantes para a determinação da vulnerabilidade. 

Assim, a vulnerabilidade é identificada primariamente pela sua localização em relação à
ameaça e suas características.

Serão vistos mais detalhadamente os aspectos da vulnerabilidade para a realização do seu mapeamento e avaliação.

Embora os conceitos de exposição e vulnerabilidade sejam claramente diferentes, eles têm uma grande interação e não podem ser dissociados. 

Por exemplo:

* Uma casa só estará vulnerável à inundação se estiver na área atingível pelo evento, ou seja, se estiver exposta à esta ameaça. A identificação da vulnerabilidade neste caso deverá levar em consideração as características da sua construção e da 
condição dos seus ocupantes.

* Uma escola situada próxima de uma encosta pouco segura será vulnerável a um deslizamento pois está exposta à esta ameaça. A vulnerabilidade será maior quanto maior for o volume ou a velocidade de um eventual deslizamento.

A Vulnerabilidade Física, Refere-se às condições físicas e intrínsecas ao elemento, corpo ou sistema receptor em análise que, em interação com a magnitude do evento ou acidente, define os efeitos adversos, medidos em termos de intensidade dos danos previstos (CASTRO, 1999).

A vulnerabilidade física ao risco de desastre pode ser identificada através da análise dos aspectos construtivos dos elementos avaliados. 

Abaixo, são apresentados alguns indicadores de classificação da vulnerabilidade física.

* Condições da construção;

* Saneamento em rede;

* Acesso à construção; e

* Densidade das construções.

Vulnerabilidade de Função, Em muitas situações, um evento adverso causa mais prejuízo em função da interrupção de um serviço ou função importante, do que o custo que essa função representa para ser reconstruída. 

Como por exemplo:

A queda de uma pequena ponte que não causou vítimas. Embora o valor gasto para construir a ponte tenha sido baixo e ninguém se feriu, o prejuízo de não poder abastecer a localidade do outro lado da ponte será sentido por toda uma população.

Por exemplo: 

Vulnerabilidade do sistema de abastecimento de eletricidade por quedas de torres causadas por temporais.

Abaixo, são apresentados alguns indicadores de classificação da vulnerabilidade de função de elementos em risco.

* Serviços públicos e equipamentos urbanos localizados em áreas suscetíveis às 
ameaças;

* Área de acúmulo de lixo e entulho;

* Sistemas de drenagem de águas pluviais eficientes;

* Abastecimento de água potável; e

* Acesso viário local ou através de pontes.

Vulnerabilidade social, é aquela relacionada às questões que provocam danos ou prejuízos econômicos ao ser humano. 

Possui enfoque centrado nas características comportamentais, organizacionais e de educação de pessoas ou populações. 

A vulnerabilidade social de indivíduos ou populações pode ser identificada através da avaliação das capacidades de autonomia e mobilidade, bem como pela sua capacidade de acesso a recursos financeiros, educação e serviços de saúde. 

Abaixo, são apresentados alguns indicadores de classificação da vulnerabilidade social de elementos em risco.

* Nível de cultura, educação e renda;

* Nível de organização da sociedade, redes de alerta, presença de sindicatos, associações, NUDECs; e

* Faixa etária, níveis de saúde, graus de mobilidade, percentual de pessoas com restrições de mobilidade (cadeirantes, idosos, dificuldades visuais, crianças, etc).


Por hoje é só! Fiquem a Vontade para Curtir, Compartilhar, Twittar, Fazer Comentários ou Dar Sugestões. Vejo Vocês em Breve. Até......










Referências:
riskam.ul.pt/images/pdf/livcapnac_2010_cartografia_municipal_risco_sig.pdf
https://moodle.ufrgs.br/pluginfile.php/1112649/mod_resource/content/5/Cap%C3%ADtulo%204%20-%20Apostila%20-%20Enxergando%20os%20componentes%20do%20risco.pdf
http://www.eea.europa.eu/publications/technical_report_2005_1
http://www.abge.org.br/uploads/imgfck/file/Relatorio_Petropolis-Marco13.pdf