quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Entendendo o Uso de Indicadores para Gestão de Risco

            

Os Indicadores São Instrumentos muito úteis para a gestão de risco e diversas outras áreas. 

Eles fazem parte da construção de uma boa vigilância da gestão de riscos em uma região específica e auxiliam os gestores dessa região a tomar decisões e a identificar o impacto dessas decisões para a melhoria do território. 

Indicadores permitem, por exemplo, comparar a situação de risco de uma população com outra, avaliar as tendências do comportamento dessa situação ao longo do tempo e definir as prioridades de orientação para os esforços de gestão de risco.

Indicadores configuram-se, desta forma, um instrumento de orientação e monitoramento das ações de gestão na busca de bons resultados.

Indicadores podem ser descritos como parâmetros (uma propriedade que pode ser mensurada e observada) que forneçam informações sobre um fenômeno, ambiente ou área.

São, desta maneira, um veículo para resumir ou simplificar e comunicar informações sobre algo que é importante para a tomada de decisão.

Os Indicadores podem ser utilizados como: 

* Uma ferramenta de avaliação, parâmetro, ou valor calculado a partir de parâmetros (OCDE, 2002).


Por exemplo: 

O indicador número médio de eventos adversos por ano é um parâmetro que permitem acompanhar a evolução de desastres e a eficácia das medidas preventivas ou mitigatórias.

* Uma medida, geralmente quantitativa, que pode ser usada para ilustrar e comunicar um conjunto de fenômenos complexos de uma forma simples, incluindo tendências e progressos ao longo do tempo (EEA, 2005).

Por exemplo: 

O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é uma medida comparativa usada para classificar os países pelo seu grau de desenvolvimento humano. A estatística é composta a partir de dados de expectativa de vida ao nascer, educação e PIB per capita como um indicador do padrão de vida.

* Como devem ser os indicadores?

Os indicadores devem capturar a essência do problema e ter uma interpretação normativa clara e aceita.

Por exemplo:

A redução da média mensal de precipitação nos últimos 80 anos em Recife é um indicador de mudança climática.


Eles devem demonstrar a realidade de maneira clara e comprovada.

Por exemplo: 

Indicadores para avaliação da vulnerabilidade de uma habitação:


* Condições de infraestrutura e hidrossanitárias de uma habitação = a) Presença de pavimentação  ->  b) Acesso ao sistema de abastecimento de água  ->  c) Presença de banheiro na habitação  ->  d) Sistema de esgotamento sanitário  ->  e) Lixo é coletado


Eles devem refletir com facilidade as intervenções políticas, mas não sujeitos a manipulações.

O Número de NUDECs por município é um indicador de participação da sociedade civil no SINPDEC. 

Pode ser melhorado com políticas que fortaleçam a disseminação de informações sobre a importância do papel das comunidades na prevenção de desastres.

Planos diretores que incluem mapeamento contendo as áreas suscetíveis à ocorrência de:

* Deslizamentos de Grande Impacto, Inundações Bruscas ou Processos Geológicos ou Hidrológicos Correlatos também São Indicadores de Eficiência; 

* Queda no Número de Desastres, ou de Danos e Prejuízos advindos de Desastres São Indicadores da Eficácia das Ações Mitigadoras, Preventivas e de Preparação, dentre outros.

* Como determinar a qualidade de um indicador?

A Qualidade é Definida pela sua relevância ao conteúdo, credibilidade da fonte, atemporalidade e neutralidade, conforme veremos abaixo: 

1) Relevância ao conteúdo -> O Indicador deve estar relacionado ao tema analisado e ser uma importante contribuição na sua composição.

Exemplo:

Percentual de famílias com baixa renda como indicador de desenvolvimento social.

2) Credibilidade da fonte -> Quanto mais reconhecida for a fonte dos dados, mais credibilidade terá o indicador.

Exemplo:

IBGE, Instituições e agências governamentais, Institutos de pesquisas.

3) Atemporalidade -> Os indicadores devem refletir situações que poderão ser comparadas em momentos distintos.

Exemplo:

Número de pessoas contaminadas com dengue ao longo dos anos em um município.

4) Neutralidade -> Bons indicadores não excluem grupos de dados homogêneos.

Exemplo:

Total de moradias afetadas por inundações, independente da renda da família.


Um indicador pode possuir diversas aplicações e características multidimensionais. Além disso, podem servir a diferentes entidades para diversos tipos de avaliações. 

Desta forma, frequentemente apresentam relações positivas unindo diferentes áreas e contribuindo para todas elas.

Por exemplo: 

A precipitação pluviométrica média mensal de uma região é um indicador que serve para:

• Cálculo de inundação;

• Cálculo da probabilidade de deslizamentos de terra; e


• Cálculo da probabilidade de seca ou estiagem;


Por hoje é só! Fiquem a Vontade para Curtir, Compartilhar, Twittar, Fazer Comentários ou Dar Sugestões. Vejo Vocês em Breve. Até......










Referências:
riskam.ul.pt/images/pdf/livcapnac_2010_cartografia_municipal_risco_sig.pdf
https://moodle.ufrgs.br/pluginfile.php/1112649/mod_resource/content/5/Cap%C3%ADtulo%204%20-%20Apostila%20-%20Enxergando%20os%20componentes%20do%20risco.pdf
http://www.eea.europa.eu/publications/technical_report_2005_1
http://www.abge.org.br/uploads/imgfck/file/Relatorio_Petropolis-Marco13.pdf