terça-feira, 4 de novembro de 2014

Entendendo e Identificando a Suscetibilidade

                                                     

A suscetibilidade, corresponde à propensão de que determinados locais sejam afetados por um tipo de desastre, sem considerar seus eventuais danos. 

Sua identificação resulta da análise conjunta dos fatores predisponentes que influenciam na ocorrência de desastres. 

Essa etapa é fundamental para a predição de locais sujeitos a novos eventos e, consequentemente, para a adoção de medidas preventivas e mitigadoras adequadas.

Os fatores condicionantes que influenciam na suscetibilidade variam segundo o tipo de evento analisado. 

Os julgamentos sobre o nível de suscetibilidade irão variar conforme a área de estudo.

Dessa forma não é possível relacionar, por exemplo, determinados graus de declividade com uma alta ou baixa suscetibilidade a deslizamentos. 

Essa avaliação deve ser realizada com base no conhecimento de especialistas locais, caso a caso.

Segue abaixo, os fatores de maior relevância para a identificação da suscetibilidade, conforme diferentes tipos de processo.

Tipo de processo -> Deslizamento


* Fatores condicionantes:

- Declividade
- Forma da encosta
- Orientação da encosta
- Acúmulo de fluxo
- Amplitude da encosta
- Densidade e/ou distância de lineamentos
- Tipo de rocha
- Grau de alteração
- Aspectos estruturais
- Tipo de solo
- Propriedades geotécnicas e hidrológicas do solo
- Umidade do solo
- Nível do lençol freático
- Unidades geomorfológicas
- Características da vegetação
- Presença de afloramentos rochosos

Tipo de processo -> Erosão hídrica


* Fatores condicionantes:

- Declividade
- Forma da encosta no perfil e no plano
- Orientação da encosta
- Direção do fluxo
- Acúmulo de fluxo
- Tipo de rocha
- Tipo de solo
- Uso do solo e cobertura vegetal
- Erosividade
- Erobidilidade
- Unidades geomorfológicas

Tipo de processo -> Inundações


* Fatores condicionantes:

- Rede hidrográfica
- Declividade
- Forma da encosta no perfil e no plano
- Excedente hídrico
- Tipo de rocha e suas propriedades de permeabilidade
- Tipo de solo
- Uso do solo e cobertura vegetal
- Escoamento superficial
- Área da bacia de drenagem
- Forma da bacia
- Gradiente hidráulico do corpo d’água
- Índice de circularidade da bacia
- Índice de rugosidade
- Densidade de drenagens

Tipo de processo ->Vendavais 


* Fatores condicionantes:

- Velocidade do vento
- Direção do vento


Tipo de processo -> Granizo


* Fatores condicionantes:

- Latitude
- Continentalidade
- Nuvens de desenvolvimento vertical associadas a frentes frias

Tipo de processo -> Incêndios florestais


* Fatores condicionantes:

- Temperatura do ar
- Umidade relativa do ar
- Velocidade do vento
- Direção do vento
- Altitude
- Declividade
- Exposição solar
- Balanço hídrico
- Uso do solo e cobertura vegetal
- Quantidade e dimensão dos materiais combustíveis 
- Distribuição vertical e horizontal dos combustíveis
- Combustibilidade
- Proximidade da rede viária
- Densidade populacional
- Limite com as áreas florestais

Tipo de processo -> Desertificação


* Fatores condicionantes:

- Declividade
- Tipo de solo
- Grau de fragilidade a erosão
- Erosividade
- Uso do solo e cobertura vegetal
- Balanço hídrico
- Evapotranspiração


Tipo de processo -> 
Secas e estiagens


* Fatores condicionantes:

- Temperatura do ar
- Umidade relativa do ar
- Precipitação pluvial mensal e/ou anual
- Circulação dos ventos
- Correntes marítimas







Tipo de processo -> 
Produtos perigosos


* Fatores condicionantes:

- Rota de transporte
- Tipo de transporte
- Tipo de produto



Por exemplo: No Maciço da Tijuca (RJ), as declividades mais críticas para a ocorrência de deslizamentos variam de 37° a 55°, ocorrendo principalmente nas porções côncavas do relevo (FERNANDES et al., 2001).

Já no município de Porto Alegre (RS), os deslizamentos ocorrem predominantemente em encostas com declividades entre 16° e 26°, em encostas convexas (BRITO, 2014).

Dessa forma constata-se que os limiares críticos dos fatores condicionantes variam amplamente e devem ser delimitados com base nas características da área de estudo.

Observação: 

É importante salientar que os indicadores apresentados tratam apenas de uma sugestão.

Os indicadores a serem utilizados irão variar conforme a área de estudo, escala do trabalho e seus objetivos.

Por hoje é só! Fiquem a Vontade para Curtir, Compartilhar, Twittar, Fazer Comentários ou Dar Sugestões. Vejo Vocês em Breve. Até......












Referências:
riskam.ul.pt/images/pdf/livcapnac_2010_cartografia_municipal_risco_sig.pdf
https://moodle.ufrgs.br/pluginfile.php/1112649/mod_resource/content/5/Cap%C3%ADtulo%204%20-%20Apostila%20-%20Enxergando%20os%20componentes%20do%20risco.pdf
http://www.eea.europa.eu/publications/technical_report_2005_1
http://www.abge.org.br/uploads/imgfck/file/Relatorio_Petropolis-Marco13.pdf